skip to Main Content

One man business – Hora de escalar o negócio

Quase um mês na Tailândia, ainda só sai três vezes de Bangkok e ainda não deu nem para ver nem para conhecer 5%, afinal de contas eu trabalho, não estou de férias 🙂

Deparei-me com algo arrasador que me deixou a pensar, toda a minha vida (exagero.. desde que comecei a trabalhar por minha conta, ou melhor, desde que comecei a trabalhar, pois comecei nos “negócios por conta propria” desde o inicio) trabalhei bastante, horas a fio, sem dormir muito e focado no resultado ( autoridade, dinheiro, entre outros), mas isto quando se vive sozinho numa cidade ou aldeia pequena sem muita coisa para fazer e com os amigos todos longe (outros paises) dá um gosto enorme ficar trancado a trabalhar, ver os números aumentar e vem toda aquela alegria do “eu fiz, eu faço e eu continuo a fazer e sou muito bom”. Mas isto não dura para a toda a vida, enquanto se é jovem, vive à conta dos pais (sentido de aluguel/renda, comida, etc) é tudo muito bonito e um mar de ilusões, mas pronto, ninguém começa de cima, então foi assim que eu comecei, como muitos de vocês, negócios de garagem/quarto que foram crescendo e onde fui colocando todos os meus ganhos para fazer crescer ainda mais já que não tinha grandes despesas para pagar. De qualquer das formas, tudo isto para dizer, enquanto se tem tanta liberdade e tempo para cara$#*# tudo fica bem fácil.

2013 fui para o Brasil (ver)

…experiência de viver sozinho ou com alguém, que não a familia, começar a pagar contas, ter de ir ao supermercado (blablabla eu não fiz faculdade, então não tive essa experiencia eheh – olha achei uma vantagem em fazer faculdade, boa 🙂 ), uma vida regada de responsabilidades e tarefas rotineiras que por muito organizada que seja (o que também não é o meu caso) deixa de nos permitir focar o dia todo naquilo que queremos.

Ai vem a parte chata, se o que eu fazia me rendia fazendo 10-18 horas por dia, vai deixar de render ao fazer o mesmo 4-10 horas por dia certo?

Uma pessoa madura (para não dizer inteligente, vá, mais madura, não me vou menosprezar tanto) tinha arranjado um jeito de contornar a situação contratando alguém para substituir, a tal coisa do terceirizar tarefas, mas ai vem outra parte complicada.

Terceirizar o quê?

Nessa altura eu fazia mil e uma coisas, contratar um canivete suiço ambulante para além de desumano seria extremamente caro, eu ganhava bem, mas, talvez não tão bem assim. Eu já terceirizava uma parte chata, que eu demorava para fazer e precisava em grande volume (para quem é da área… a produção de conteúdo), no entanto terceirizar as minhas tarefas
era algo insano.

Btw, vamos passar esta parte, resumindo.. deu m$*da e eu voltei para Portugal, por mil e um motivos quebrei os negócios, aliás, o que é quebrar? Não chegou ao negativo, apenas ao super mega apertado, talvez não seja a frase correta… adiante..

2015 comecei “tudo de novo”

…(mantive o que rendia claro), comecei a por em prática alguns ensinamentos de pessoas que são minhas amigas e usavam o mesmo modelo de negócio que eu mas em volume superior, com escritórios, empregados e tudo mais. Fui perguntando e adquirindo algum conhecimento de como gerir o negócio a um nível mais superior e organizado e acabei por decidir que era isso que queria para a minha vida, criar algo maior, estruturado e facilmente expansível com foco em qualidade mas ao mesmo tempo em volume.

Na conversa com amigos, surgiu a ideia de vir “trabalhar” para Tailândia e aqui estou eu. Mil e uma pessoas já me perguntaram o que eu acho sobre estar aqui eu digo a verdade, se eu tivesse de escolher ficar aqui por mais 10 anos eu ESCOLHIA FICAR, no entanto estou a passar por um problema de TIMING.

Todas as minhas operações são focadas no Brasil e estou com 8-9 horas de diferença, vejo-me negro para conseguir trabalhar em coisas que tem de ser feitas na hora, o agendamento funciona mas faz o modelo de negocio se reduzir a 20-30% do que ele me tem de valer. Vou me fechar para trabalhar de morcego a fulltime e não tirar partido dos prazeres da vida como faço em Portugal? Claro que não, isto foi um abre olhos tão grande mas tão grande que estou a fazer este post aqui enquanto espero amanhecer no Brasil.

Ontem tomei a decisão que vai alavancar o meu ano de 2016 e possivelmente os próximos anos, vou falhar muito até encontrar o que quero, mas vou conseguir, como sempre consegui 🙂

A partir de hoje vou TRABALHAR MENOS (eish, um workaholic a falar que vai trabalhar menos… eheheh), brincadeira, vou reduzir a minha carga de trabalho, focar em ser produtivo dentro daquilo que faço melhor. Manter o meu foco na mesma área e contratar 1 ou 2 pessoas para outra área que pretendo manter em horário comercial brasileir

Afinal de contas, no dia que eu ficar doente, sem acesso à internet ou precisar de tirar uma semana para algo urgente ou um simples relax porque o corpo não aguenta para sempre não posso deixar cair os negócios. E sempre que eu deixava algo, até hoje, tudo caia.. Não tenho uma estrutura sólida e organizada com alguém a manter as coisas por tempo indeterminado e sem mim, thats the problem.

Pronto vai ser isso, estou a formar a minha nova empresa, formar uma equipa e tentar fazer aqui um elo que nunca fiz, que deveria ter feito há cerca de 4 anos atrás e provavelmente (para não dizer garantidamente) a “minha roda deixaria de ser tão quadrada”.

VAMOS LÁ.. vai ser um ano em cheio

PARA QUÊ ESTE POST?

Foi só um desabafo, algo que me passou pela cabeça falar, não tenho qualquer intuito comercial. Mas daqui tiro algo para passar para vocês meus amigos….

Enquanto somos jovens (eu ainda sou, sinto me um velho a dizer isto) podemos fazer muita coisa, mas daqui a 10 anos, 20 anos, quem vai dar conta de ser um canivete suiço? …… Exato… enquanto ganham bem, tem projetos a rodar bem, formem equipas, contratem, terceirizem, não falo só daquele trabalho chato bem básico que não vos apetece fazer.

Digo contratem e terceirizem tarefas no sentido de vocês um dia poderem estar 1,2,3 ou até mais semanas sem ter de morrer de preocupação e que o negócio se mantenha a rodar sem crises de última hora, com profissionais competentes a cuidarem dos próprios postos de trabalho.

One man business…

é bonito quando temos tempo, quando somos solteiros, quando não temos tarefas rotineiras para fazer… agora mantenham lá isso para sempre.. vão ver o que é cansaço, desmotivação, mas lá está, isto é algo pessoal, baseado em 3-5 anos de trabalho por conta própria com o meio digital. Não me vejo mais a fazer tudo sozinho, prefiro “ganhar menos” mas ter um negócio a girar sem depender a 100% de mim, dá me tempo, posso até gastar esse tempo a escrever aqui ou simplesmente ficar no sofá a aproveitar um momentinho de descanso que não estou habituado a ter… Nem vou falar de viajar e viver o “dot com lifestyle” isso já vai de cada um e eu não sou vendedor de sonhos 🙂

P.S.: O que me vale hoje são as parcerias que fiz, não tenho praticamente nada “só meu”, tenho parcerias, umas sólidas, outras que vivem de hypes e outras a florescer… Sou muito grato aos meus parceiros, como dizem os amigos do BR, os caras são feras, formamos boas alianças e crescemos juntos. Só não coloco aqui nomes porque alguns são “anónimos” e noutras parcerias temos confidencialidade, mas pronto, todos entenderam onde quis chegar.

Obrigado a quem leu o que eu partilhei, um forte abraço, bons negócios e boas festas 🙂

Jóni Oliveira

Trabalho online por conta própria desde os 17 anos (2010) e desde então nunca tive um emprego comum. Sempre com ideias e projetos novos a serem lançados, posso dizer que hoje faço o que quero e o que gosto e ainda tenho a liberdade geográfica para morar onde bem entender, com uma simples ligação à Internet.

This Post Has 2 Comments
  1. Oi Joni,
    É a primeira vez que comento aqui no teu blog. Descobri o teu blog através de um comentário teu num video do Marcus Lucas.
    Li este teu artigo e fiquei com pele de galinha com a sequencia da tua “história”. Eu também sou “tuga” e estou a tentar vingar nos negócios online.
    Achas que é possível para nós Portugueses conseguirmos vingar nesse mundo?
    Eu olho para o panorama Português e parece-me tão amorfo e atrasado relativamente a outros países, nomeadamente o Brasil.
    Preocupa-me estar com ilusões e depois me rebentar todo e não conseguir nada.
    Sinto falta de ter outras pessoas que tenham os mesmos objetivos e ambições que eu.

    Desculpa o “desabafo” 🙂

    1 abraço

    Nuno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top